O paraíso perdido

O paraíso perdido

O poema épico de John Milton, agora reimaginado pela fantástica arte do ilustrador Pablo Auladell, a adaptação entre diferentes mídias pode distanciar da ideia original, e quebrar a obra, mas Pablo Auladell, fez com maestria, em páginas com pouco texto, ele passa a profundidade das cenas, em que o leitor sente a carga dramática de cada quadro, o visão da queda silenciosa, da organização do inferno e sua hierarquia e como a queda mudou cada anjo, e o próprio Lúcifer, que tem variações em proporções corpóreas conforme seus enfrentamentos, na deliberação de atos de vingança contra o paraíso, e as dissimulações de Satã, que “aqui é um anjo de pura hipocrisia, igualmente sedutor e nefasto, Uma figura própria do nosso tempo.” (Andrew Pyper).

A obra é dividida em quatro contos, o primeiro chamado Satã, é o mais longo, que narra a queda e o trajeto até o mundo suspenso, conto foi escrito a pedido de uma editora espanhola, e por motivos diversos, o projeto foi interrompido, os demais contos foram escritos dois anos depois a pedido de outra editora, tanto que o ilustrador ressalta a apreensão na mudança da arte, pois mesmo mantendo a “essência”, havia diferenças em alguns personagens, pois como disse Pablo Auladell, “eu já não era o mesmo desenhista que havia começado naqueles quadros”.

O segundo conto Um Jardim de Delícias, já temos Satã infiltrado no jardim, e os Anjos do Paraíso seguindo seus passos, e nesse ato, mostra bem a dissimulação de Satã, e a inocência tomada de Eva.

O terceiro conto Primeiras Lembranças do Mundo, nos mostra um dos Anjos do Paraíso narrando a Adão e Eva os eventos da rebelião e por que houve a guerra no Paraíso em consequência a queda, até o origem de homem e mulher, e porque eles devem obediência aos céus, é um dos contos mais bonitos tanto em ilustração quanto em texto.

O quarto conto Espada Flamejante, já trás os efeitos das ações de Satã sobre o mundo suspenso, e como essas ações afetaram Adão e Eva, mostrando como suas próprias ações os distanciaram do firmamento.

Está realmente é uma obra que engrandece o original, fazendo com que se você não leu o poema épico, queria ler para ver mais dessa obra, e se você já leu te dá novas perspectivas sobre a obra.

Um clássico da literatura mundial adaptado pela primeira vez em uma graphic novel única e essencial. Há 350 anos, o conflito entre Deus e Satã narrado em Paraíso Perdido, obra-prima de John Milton, virou um marco na literatura. Seus dez mil versos sobre a criação do mundo, a tentação e o desejo por redenção receberam reconhecimento instantâneo e serviram de inspiração para peças de teatro, músicas, pinturas e livros, ecoando na obra de mestres como Mary Shelley, C.S. Lewis, Philip Pullman e Neil Gaiman. Agora, a obra colossal foi reimaginada pelo premiado ilustrador espanhol Pablo Auladell. Com seu traço sombrio, quase desolado, o tributo captura o lirismo de Milton para quem ainda não teve o prazer de ler os cantos originais. Ao mesmo tempo, complementa a experiência do leitor, dando ainda mais vida ao texto. A graphic novel inspirada na grande obra de Milton chega para fazer parte da linha DarkSide Graphic Novel numa edição que deixaria Adão em apuros, com capa dura, bordas douradas e todo aquele cuidado que os fãs já esperam — e merecem. Chegou a hora da redenção.

E se você quiser adquirir esta obra a baixo estão os links com desconto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.